sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Rollout E190-E2 – A Perenização de um Sonho

Por definição temos que Rollout é: "uma palavra em inglês cuja a tradução literal é rolar para fora... muitas vezes consiste em um lançamento de algum produto...". Na EMBRAER, as pessoas estão habituadas a este e a outros inúmeros termos em inglês, porém, contudo, todavia, este termo representa, especificamente, o resultado do trabalho, esforço, dedicação de seus colaboradores e a perenização do sonho aeronáutico brasileiro.

Parece uma atividade simples, corriqueira... mas não é bem assim não... Nem o calor de um dia nublado esconderam a beleza que foi o dia 25 de fevereiro de 2016, data que entra para a história da aviação mundial através da EMBRAER... através do Rollout do E190-E2!!!



Imaginemos a seguinte situação vivida pelos brasileiros apaixonados por futebol: Um jogo de final de Libertadores da América ou até mesmo um jogo de Copa do Mundo, onde torcedores tem orgulho de exibir suas camisas e há toda uma expectativa, pré-jogo, no momento do Hino Nacional. Assim foi o Rollout, evento no qual a EMBRAER mostrou ao mundo a aeronave E190-E2, o primeiro da Nova Geração de jatos comerciais da empresa. A nação EMBRAER se vestiu com a tradicional camisa Azul, que traz estampada os valores da empresa e, o Hino Nacional, trouxe aquela tensão “pré” do que seria o ápice do evento. 

Nação EMBRAER com a tradicional Camisa Azul
Foto: Nação EMBRAER com a tradicional Camisa Azul
Fonte: https://www.facebook.com/embraercorporatecommunications/photos
É um dia de grande emoção e sentimento indescritível, todas as unidades da empresa estão em festa. Com a música de fundo, a fumaça subindo, as portas do hangar se abrindo, o E190-E2 vai surgindo... vagarosamente... lentamente... coroado com a belíssima apresentação das aeronaves Super Tucano e o gigante KC-390. É um momento em que a máquina encanta os homens, momento de encontro entre criadores e sua criatura. As sensações entusiasmo, motivação e alegria se renovam a cada Rollout, quer seja de uma aeronave Comercial, Executiva ou de Defesa.

Por isso, num momento como este, "Rolam Para Fora" toda emoção das pessoas que participam veementemente deste projeto, que se dedicam, que muitas vezes abdicam da sua vida pessoal em prol de um objetivo comum, que abrem mão de momentos de descanso com suas famílias em troca da busca incessante de conhecimento aeronáutico, não só para empresa, mas também para o nosso país como um todo. Seus corações batem acelerados. Todo público presente, colaboradores, autoridades, prestadores de serviços e parceiros são tomados por um sentimento único de orgulho por fazer parte deste momento histórico. 

Rollout E190-E2
Foto: Rollout E190-E2
Fonte: Acervo do próprio autor
Aliando o pensamento cartesiano da engenharia à criatividade do design brasileiro, tomados por sua ousadia e inovação ímpares, os colaboradores da EMBRAER vão fazendo o Brasil voar cada vez mais alto nas asas de seus aviões, vão construindo um futuro sustentável e fazendo da atuação global a sua fronteira, conseguindo servir seus clientes com uma qualidade cada vez maior, na busca incansável pela Excelência Empresarial EMBRAER.

Claro que, como em qualquer empresa, como em qualquer família, existem os alguns percalços pelo caminho, há aqueles que talvez não tenham a promoção e salário almejados, há aquelas discussões às vezes mais acaloradas, há aqueles desentendimentos comuns, afinal de contas, uma família, uma empresa é composta por membros das mais diversas personalidades, crenças e costumes. Mas, tecnicamente falando, estes percalços levam uma empresa como a EMBRAER adquirir uma tamanha maturidade profissional que reflete diretamente na robustez de seus produtos. 

Por fim, como diz um trecho do Hino Nacional: “Brasil, de amor eterno seja símbolo, o lábaro que ostentas estrelado, e diga o verde-louro dessa flâmula, paz no futuro e glória no passado”... A EMBRAER, revestida de azul, exibe com orgulho para o mundo, a nossa bandeira estrelada verde-amarelo.

Grande abraço,
Eduardo Caetano

Fonte de Pesquisa:

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

São José dos Campos e o Design de Interiores

Olá pessoal, bom dia!

Foi sensacional participar da palestra sobre Design de Interiores na FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado). Valeu a pena o esforço de sair de casa numa noite chuvosa para ver a apresentação, depois transformada em debate, de renomados profissionais da arquitetura e do Design do nosso país. É gratificante saber que, temos em nossa cidade, profissionais reconhecidos mundialmente por seus trabalhos e que estarão juntos daqui em diante para realização do curso de Pós Graduação de Design de Interiores de altíssimo nível como o que foi apresentado.



Compondo a mesa estavam o coordenador do curso, o arquiteto Marcelo Teixeira, do Studio Marcelo Teixeira. Além da vasta experiência no setor de aviação executiva, tem prestígio internacional por sua exposições de Design de Interiores e também é autor do livro Arquiteturas Móveis, pela Editora Senac. 

A Designer Amanda Oliveira mostrou seu trabalho voltado as cores, texturas, volumes e densidades. Fez uma analogia interessante entre o Design de Interiores e a mídia escrita. Quem não foi, perdeu!

O designer Erich Shibata falou também sobre sua experiência profissional no setor de aviação executiva, que lhe proporcionou a visita em mais de 20 países e mais de 100 cidades diferentes. Falou também do que chamou de “Profissionalização do seu Hobby”, ou seja, vez da sua brincadeira de tirar fotos seu reconhecimento internacional como fotógrafo de Luxo. 

Por fim, o arquiteto Fernando Brandão contou sua história de como foi parar, literalmente, na China. Falou dos trabalhos e dos prêmios conquistados por seus escritórios e deixou um recado: “Quem tem fome, consegue realizar um projeto de arquitetura em 15 dias”. 

Este foi um daqueles eventos em que paramos e pensamos que de fato podemos ser tão grandiosos quanto nossos sonhos. E não seria nenhum pouco ousado da minha parte dizer que São José dos Campos, além de ser referência industrial e tecnológica, também se posiciona, mundialmente, como referência em Arquitetura e Design de Interiores.

Palestra FAAP
Foto: Palestra sobre Design de Interiores na FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado)
Fonte: Pode Cornettah
Grande abraço,
Eduardo Caetano

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Sérgio Weiss, o Biriba que inseriu São José dos Campos no mapa do Brasil

Nos anos 40, a palavra Biriba significava desde aqueles jeguezinhos do nordeste até ao pequeno cachorro mascote do time de futebol do botafogo e por aqui, no Vale do Paraíba, eram os "sacis" do tênis e do basquete.

Num tempo em que não havia uma programação definida na Rádio Clube São José dos Campos, a única na nossa cidade no final dos anos 40, o então pianista Sérgio Weiss foi indagado sobre seu próximo compromisso musical no recém inaugurado Tênis Clube... Lhe perguntou o radialista: Então Serginho, quem irá tocar semana que vem? Nós! Respondeu ele. Nós, quem? Perguntou o radialista. Pensou e respondeu rápido o pianista: Nós, o Biriba! Biriba o que? Perguntou novamente. Sérgio Weiss, vendo que seu grupo era formado somente por garotos, respondeu: Biriba Boys! E assim nasceu o grupo musical que por mais de quatro décadas alegrou mais de quatro mil bailes por todo país.

Maestro Sérgio Weiss
Foto: Sérgio Weiss mostrando a capa do primeiro disco do Biriba Boys



Na foto acima Sérgio Weiss segura a capa do seu primeiro disco. Neste trabalho ele foi o idealizador e o criador do nome, Biriba Alegra o Brasil. Naquela época lançavam um disco por ano e ele era responsável por criar seus próprios figurinos. 


Falar ou escrever algo sobre o pianista, maestro e empreendedor Sérgio Weiss é falar de alguém que de fato ama a terra onde nasceu e procurou de todas as formas positivas enaltecer o nome deste lugar. Antes de se tornar um pólo industrial, certa vez um brigadeiro do DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial) declarou a Sérgio Weiss que, através da música, ele inseriu a cidade de São José dos Campos no mapa do Brasil. E isso realmente faz sentido, quando em 1974, ao completar 25 anos de atividades artísticas, ele recebeu a medalha Cassiano Ricardo, homenagem feita aos joseenses que engrandeceram o nome da nossa cidade.

Nascido em 7 de novembro de 1928, tocando piano desde o sete anos de idade, apaixonado pela música e entusiasta do esporte, Sérgio Weiss escancarou seu amor por São José dos Campos através da música “Minha Cidade”. A letra, a qual também é de sua autoria, é singela, mas traduz claramente toda sua forma de amar nossa cidade: “Minha cidade, como tantas que já vi, tem crianças nas calçadas, gente humilde nos jardins. Tem avenidas, praças, ruas asfaltadas, todas muito iluminadas, como é bom viver aqui. Céu sempre aberto, terra limpa e hospitaleira, Paraíba, Mantiqueira, criou asas p'ra voar. Um povo unido, branco, negro, Imigrante, operário, estudante, seu destino é prosperar. Meu São José dos Campos tão floridos, edifícios coloridos, não me canso de te amar... dos campos tão floridos, não me canso de te amar...!”

Como conselho a todos nós, ele diz numa entrevista concedida para o trabalho de conclusão de curso de Sandra Prado, em 2007, que pensa que é muito triste nós passarmos pela vida e não fazermos nada. Ele diz que temos que passar pela vida desfrutando tudo o que ela nos oferece e que devemos contribuir da forma que pudermos com nossa comunidade e, para ele, esta comunidade se chama são Jose dos campos.

Somos eternamente gratos a toda forma e carinho de demonstrou pela nossa cidade ao longo da sua vida.  E poderemos, com muito orgulho, recordar sua história de vida cada vez que formos ou passarmos próximo ao antigo Teatrão, que na última quarta-feira, 4 de fevereiro de 2016, passará a se chamar Anfiteatro Maestro Sérgio Weiss, conforme decreto assinado pelo prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT).

Grande Abraço,
Eduardo Caetano


Fonte de pesquisa: