sábado, 17 de dezembro de 2016

Pode Cornettah Com Altas Aulas

Bom dia gente bonita!!!

Já é dezembro, mas depois de um longo e tenebroso inverno, cá estamos novamente. Estamos preparando alguns projetos para o ano que vem e muita coisa boa vem por aí... 

Ainda sobre este ano, num destes encontros inesperados, estava eu aguardando o início da palestra de Mario Sérgio Cortella, na igreja da Paróquia Espírito Santo, pensando quem sentaria ao meu lado para partilhar aquele momento de aprendizagem... Eis que do nada surge o amigo e Professor Bruno dos Santos. Não poderia ser melhor companhia. Durante nossa conversa me contou um pouco sobre seu projeto Altas Aulas e me convidou a participar, um projeto realizado com os alunos do Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida com objetivo de falar sobre profissões de uma forma descontraída e inteligente.

Estar entre os jovens, foi uma experiência sensacional. Ver o quanto eles admiram e respeitam seus professores foi surpreendente. Fez-me pensar que o Brasil ainda tem jeito...

O caminho se faz caminhando, então, vocação acertada: certeza de futuro feliz e na vida, as profissões são interligadas, não existe a melhor profissão... isso tudo, com muita música boa e muito mais vocês podem conferir no vídeo!!!

Não há muito a escrever... o vídeo já diz tudo!!!

Grande abraço,

Eduardo Caetano

domingo, 23 de outubro de 2016

Augusto Dias, resgatando a história de São José dos Campos

Fala gente bonita!

“Esse ir e vir do Pode Cornettah, por exemplo, é que é importante...” Essa foi, na minha humilde opinião, uma das mais importantes frases ditas pelo escritor, advogado, professor e jornalista Augusto Dias durante o nosso bate papo, porque é assim mesmo que tem sido nosso trabalho e, por isso estamos aqui, vindo mais uma vez... Tive a honra de conhecê-lo quando estive pela primeira vez na Academia Joseense de Letras, na ocasião prontamente compartilhou seu contato e humildemente se prontificou a colaborar conosco neste projeto. 

Ao longo da sua vida aprendeu a dizer que não trabalha, mas sim, que realiza atividades, por que gosta tanto do que faz, que não considera um trabalho árduo, embora às vezes seja acometido pela fadiga natural física ou mental, realiza com muita intensidade cada uma delas e as torna, muitas vezes, em ferramentas para a busca incansável do resgate da nossa história.

Nascido no sul de minas, tendo seu registro de nascimento em Cachoeira de Minas, cidade que nunca conheceu, passou toda sua infância na cidade de Pouso Alegre mas foi aqui em São José dos Campos que constitui suas raízes e, através de seus inúmeros trabalhos bem sucedidos, recebeu o título de de Cidadão Joseense, além de ter atuado como presidente do Lions Club e também da Escola de Samba Unidos da Vila.

Ao visitar seu acervo repleto de boas lembranças, em forma de fotografia e registros diversos, compreendemos quando diz que "Iniciativas pontuais como essas (do PodCornettá) são boas, isoladas e dependem da boa vontade de quem faz... É como a onda da praia, que vai e sempre e volta, esse ir e vir do PodCornettá, por exemplo, é que é importante... e o Resgate da história deve se dar pelos valores intrínsecos a questão humana..."

No livro São José Entre Liberdades, relata que entre 1935 e 1958 São José dos Campos não elegia prefeito pois era uma estância climatérica e hidromineral, os prefeitos eram então nomeados pelo governador do estado. Com panorama sucinto e com seu estilo bem jornalístico, o livro relata inclusive o dia da fundação da nossa cidade fazendo um paralelo com panorama mundial.

Com a serenidade que lhe característica nos deixa um legado quando diz que precisamos carregar os bons exemplos, as brincadeiras, as boas atitudes e também diz que não há nada melhor que a família, alguns bons amigos, um bom trabalho e estudo sempre.

E para conhecer um pouco melhor esta história, assistam, curtam, compartilhem e se inscrevam no nosso canal. Deixem sua críticas, sugestões e comentários para próximas postagens.




Grande abraço e até a próxima!

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

IX Semana Teológica

O mês de Setembro é marcado pela Semana Teológica na Faculdade Católica de São José dos Campos que teve este ano a edição número IX. Participamos do quarto dia do evento, que trouxe como tema "A Teologia da Misericórdia, a Ciência e a Tecnologia num papo aberto". E este papo aberto foi direcionado pelo Prof Pe Osmar Cavaca e contou ainda com as ilustres participações de D. Emanuelle Bargellini, OSB Cam e do Engenheiro José Carlos Passos PMP.

Foto: Prof Pe Osmar Cavaca, Engenheiro José Carlos Passos e Dom Emanuelle Bargellini
Fonte: Pode Cornettah

Segundo Prof Pe Osmar Cavaca, na idade média, a Teologia era a rainha das ciências e tudo era regrado por ela e somente no século XVI é que iniciaram-se as divergências entre a Teologia e a Ciência. Durante os séculos XVIII e XIX a Ciência passa a ter uma pretensão de hegemonia do conhecimento e aos aos poucos a Teologia vai sendo tirada das universidades. As duas grandes guerras trouxeram muitas dúvidas para a própria Ciência que, também aos poucos, vai sendo desbancada por não entender e não atender as verdadeiras necessidades dos homens. As interrogações vão se sobrepondo. Há um elemento que transcende a Ciência, pois à medida que ela haje nas realidades, a própria pesquisa vai se modificando, a física vai tomando um caráter de impessoalidade. A Ciência não é uma ralidade a-histórica, ou seja, sempre fez parte da história e no século XX começa a dizer que algo vai além de seus conhecimentos. É preciso dialogar, é preciso conhecer um ao outro, enfim, a Ciência e Teologia iniciam um caminho juntos.

Para D. Emanuelle Bargellini, antes de mais nada, é necessário responder a seguinte pergunta: Qual Teologia e qual Ciência podem entrar em diálogo?  Segundo ele, para se ter um diálogo fecundo, é necessário ter a consciência dos próprios limites e das próprias identidades, além da necessidade e o querer crescer, com a presença da humildade e da misericórdia, sem competição e sem presunção, devem se sentir incompletos. Existe, também, a necessidade humana de se acolher e recolher com dinamismo. A Teologia não pode ser limitada tão somente no aspecto intelectual e, para isto, o primeiro teólogo é cada uma de nós, na nossa individualidade e totalidade. Isso vem do Espirito Santo, envolvendo compromisso pessoal com Cristo. Para ser teólogo é preciso representar a relação com Deus, não é suficiente a formação acadêmica mas, sobretudo, querer a abertura ao desconhecido. O sentido da Teologia para o Cristão é viver a experiência com Deus e a verdade da sua plenitude, ou seja, uma verdadeira passagem pascoal em busca da fé. 

Já o Engenheiro José Carlos diz que é preciso ter os "pés no chão". Teoricamente, tecnologia não tem relação alguma com ciência. Algumas pessoas dizem que tecnologia é uma desgraça e que escraviza os homens, outras pessoas já dizem que é bom e que realmente é o futuro da humanidade. Na verdade, Tecnologia é a aplicação da Ciência, a Tecnologia dialoga com a Ciência o tempo todo, o que pode levar até a uma crise de identidade. A Tecnologia pode ser tanto aplicada para o bem quanto para o mal, como por exemplo, do avanço da medicina para cura de doenças terminais a fabricação de células abortivas. Ficam então algumas perguntas: Tudo aquilo que é possível, é bom? Tudo aquilo que é possível nos aproxima de Deus? As respostas as estas perguntas vão diretamente ao encontro do que diz São Josemaria Escrivá: "Devemos santificar-nos com o trabalho, santificar-no pelo trabalho e santificar-no para o trabalho", por isso, é extremamente importante que façamos um trabalho que gere credibilidade, pois existe uma questão moral entre Ciência e Tecnologia: A moralidade dos atos humanos que se relaciona com ação, materialização, consequência e, sobretudo, intenção do homem. Ao ato humano podem ser atribuídos valores positivos ou negativos. Desta forma, devemos santificar-nos com a tecnologia, santificar-nos pela tecnologia e santificar-nos para a tecnologia.

E exemplo de usar o avanço da tecnologia através da aplicação da ciência, em favor dos preceitos da teologia cristã voltados sobretudo as famílias, é a modernização do sistema virtual através da implementação do novo site e aplicativos do Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida, que também esteve presente durante toda a semana teológica, para buscar aprendizagem contínua e disseminar ainda mais a Paz e o Bem aos seus alunos, suas famílias e todo corpo docente.

Foto: Representantes do Colégio Franciscano Nnossa Ssenhora Aparecida
Fonte: Pode Cornettah

Grande Abraço,
Eduardo Caetano

sábado, 3 de setembro de 2016

Estamos, todos, nas mãos de Deus!

A Segunda vez é tão ímpar e inigualável quanto a primeira vez... A primeira segunda vez em ter um filho é também emocionante, delirante, angustiante...

Há um mês, Lucas chegou em nossas vidas como um presente de Deus e, como eu digo, para nos tirar da chamada Zona de Conforto. Os desconfortos da recuperação da cirurgia, da amamentação, da adaptação de horários se tornam ínfimos diante da criação de Deus em nossas mãos.

Durante o processo do Pré-natal tivemos o privilégio de sermos acompanhados nas consultas de ultrassom pela Dra Caroline Flores Roubaud de forma muito familiar e acolhedora. Ela foi responsável por nos dar informações que mudarão para sempre nossas vidas. Aquelas consultas foram de muita apreensão e seguida de pura excitação. Ela nos mostrou que era um menino e que tudo estava indo bem. A cada consulta eu me questionava qual a dimensão de sua responsabilidade sobre as famílias que ela atende. 

No dia 3 agosto Lucas resolveu chegar e chegou por volta das oito horas da noite, com peso e altura satisfatórios. Por razões particulares, ele nasceu de cirurgia cesárea, no Hospital Maternidade Policlin de São José dos Campos. A operação foi liderada pelo ginecologista e obstetra Dr Sérgio Ricardo B. Rezende que tem em seu currículo aproximadamente 7.000 partos em seus 24 anos de experiência. A ele confiamos esta tarefa novamente e, na sua pessoa, conseguimos enxergar o comprometimento, experiência e profissionalismo. A situação na qual o conhecemos foi quando tivemos um aborto natural e sua maneira de conduzir nossas vidas dali em diante foi fundamental para que confiássemos plenamente em seu trabalho.


Certamente há quem diga: "Ah, esta história está muito elitizada, falando de hospitais particulares e médicos renomados da nossa região"... mas peço que deixemos esta discussão sócio-econômica para uma próxima oportunidade, por que o objetivo hoje e falarmos do momento mágico da chegado de um filho ao mundo.

Qualquer que seja a forma de nascimento de uma criança, quer seja de cirurgia cesárea, parto normal ou vaginal, parto natural ou na água, os médicos, enfermeiros, parteiros, doulas, nada podem prever. Todos eles estudam muito e se profissionalizam para que nada saia errada, mas o fato é que eles nada podem prever, fatos como uma parada cardiorrespiratória, uma mudança brusca de pressão, um manuseio incorreto dos instrumentos cirúrgicos ou até mesmo uma falha inesperada de algum equipamento.

Nos momentos que antecedem a chegada da criança, nossos pensamentos são tomados tão somente de positividade. Oramos, rezamos, pedimos a Alá, a Buda, as forças superiores que nada dê errada, pois a angústia do nascimento e inversamente proporcional a angústia da morte... e se algo desse errado... qual deles seria salvo? 

E para responder a esta pergunta, penso que: Estamos, todos, nas mãos de Deus!

Foto: Presente de Deus
Fonte: Pode Cornettah
Grande abraço,

Eduardo Caetano

sábado, 13 de agosto de 2016

Pokemon GO x Içá

Fala gente bonita!

Após uma curta licença paternidade, estamos aqui de volta... tomando esta cachaça da escrita!!!

Aí me perguntaram... Você não vai falar nada sobre este negócio de Pokemon GO? Na minha inocência respondi... Poke... o que??? Vixe... Estou ficando velho!!! 

Logo eu, que não sou adepto a jogos virtuais, que acha isso tudo uma bobagem, que cheguei a falar que este troço é uma esquizofrenia generalizada liberada recomendada, tendo que falar sobre um jogo de realidade aumentada que tem feito sucesso entre o público em geral.

Com o argumento de caçar Pokemons, ouvi dizer que pais agora estão indo aos parques brincar com seus filhos, adultos deixaram de ser sedentários... que beleza... mas eu sou de um tempo em caçávamos içá... aquilo sim dava trabalho..,

O aplicativo do Pokemon GO foi mais baixado que o Tinder... será que as pessoas deixaram de caçar relacionamentos? Mas, também, quem não sonhava em ser um mestre pokemon? Marmanjos de 30 até 40 anos podem responder, 

É a mais nova droga lícita pela qual podemos vivenciar uma experiência social em larga escala onde nos prendemos ainda mais aos smartphones, os quais são a continuação física do nosso braço e nos tornam capazes de nos comunicarmos com inúmeras pessoas e, ao mesmo tempo, não percebermos a vida real que acontece ao nosso entorno.

Do ponto de vista de estratégia de jogo e desafio intelectual, Pokemon GO deixa muito a desejar... difícil mesmo era empinar pipa, quando tínhamos colocá-la no alto tendo que entender um pouco sobre velocidade do vento, comprimento da rabiola, potência de subida e ainda fazer um duelo nas alturas... que saudade das cacinhas...

Mas nem tudo está perdido, tudo nesta vida tem dois lados... e Pokemon GO também tem seus aspectos positivos, tanto que já se sabe, por exemplo, que tem auxiliado no tratamento de crianças com autismo, de pessoas com depressão e pessoas com stress. De forma lúdica Pokemon GO tem proporcionado novas inteirações da sociedade e o mundo a sua volta.

E até as igrejas saem ganhando com esta nova febre virtual, pois elas se tornaram os chamados pokestops. Pode ser uma grande oportunidade de evangelizar as pessoas que ali estão e que por algum motivo qualquer não tem participado da vida religiosa. Também é uma excelente oportunidade das igrejas buscarem novas alternativas de comunicação e modernização na forma de evangelização.

Mas enfim, caçar Içá é coisa do passado, caçar Pokemon é coisa do presente mas, o meu negócio mesmo, é caçar promoção de fraldas infantis!

Grande abraço,
Eduardo Caetano

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Wilson R., do Bar do Escritor à Academia Joseense de Letras

Para fazer esta postagem eu tive o privilégio de realizar um sonho particular, conhecer a Academia Joseense de Letras (AJL). Confesso que fiquei um pouco curioso quando busquei o endereço na internet e foi indicado a Praça Cândida Maria C. Sawaya Giana, 128, Jardim Nova América, ou seja, o mesmo endereço do Laboratório Oswaldo Cruz (LOC). Externamente não fazemos ideia da dimensão interna do edifício do LOC. Quando fui indicado pela secretária que o escritor Wilson R. estava me aguardando no terceiro subsolo do edifício, me senti como naquelas historias de livros de ficção... onde a personagem se depara, repentinamente, com um lugar escondido e sensacional. E ali, no coração da nossa cidade, pulsam no LOC muito mais que conhecimentos técnicos de análises clínicas, pulsam também conhecimentos sobre literatura, arte e cultura abrilhantados pela vista para o banhado. Não posso deixar de mencionar ainda a honra de também conhecer pessoalmente o atual presidente da AJL e também presidente do LOC, doutor Héctor Enrique e o historiador joseense Augusto Dias. 

Wilson R. é pseudônimo de Wilson Roberto de Carvalho de Almeida, brasileiro, nascido em São José dos Campos no dia sete de fevereiro de 1965. É uma figura de muitas facetas: o homem, o professor, o prosador, o poeta e o acadêmico. É membro atuante do Bar do Escritor e foi presidente da AJL por dois períodos consecutivos, estando a frente de muitos eventos literários da nossa região.

Foto: Wilson R. na AJL
Fonte: Pode Cornettah
O Cara do Chapéu, como também é conhecido no universo literário, é pai de quatro filhos, foi analista de sistemas e hoje é um renomado escritor da nossa região e, através da aceitação do convite para participar desta postagem, presenteia nossa cidade, que esta semana completa seus 249 anos de existência, com sua história que se mistura com a história da literatura joseense. Nos mostra, com muito orgulho, que a terra de Cassiano Ricardo continua a dar bons frutos e que vai deixar aos nossos filhos, nossos netos, o legado da leitura e da constante aprendizagem.

A literatura tem lhe proporcionado conhecer diversos lugares e fazer importantes relacionamentos, sendo assim, Wilson R. esteve em 2014 na Frankfurt Buchmesse (Feira do Livro de Frankfurt), que é o maior evento do setor editorial realizado no mundo, apresentando a obra “O homem da Capadócia”.

Foto: Wilson R. na Feira do Livro de Frankfurt
Fonte: Acervo de Wilson R.
Enfim, assistam o vídeo apara conhecer um pouco melhor o Cara do Chapéu e suas facetas. 


Grande Abraço,
Eduardo Caetano

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Daniel Pedrosa... o Dan Brown brasileiro!!!

Certo dia ao chegar numa livraria aqui da cidade, pedi a atendente a indicação de um bom livro de ação. Sem pestanejar foi logo me indicando um best-seller americano, o qual nem me recordo o nome, não dei muita atenção pois disse a ela que gostaria de ler algo nacional, então ela me indicou o livro Setor 27, Ameaça Nuclear, sugerindo “este livro tem saído bastante, é muito bom”. Ao ler a sinopse e algumas páginas, fiquei curioso por saber o desfecho daquela história rica em detalhes sobre o Brasil. E qual não foi minha surpresa ao ver foto do escritor, que já o conhecia de vista? Foi então que fiquei ainda mais curioso, não só pelo livro, mas também por querer entender como um engenheiro é capaz de se tornar um conceituado escritor... Temos a satisfação de compartilhar um pouco da trajetória de Daniel Duarte Pedrosa, que inclusive fez aniversário dia 3 de julho.

Nascido na cidade de São Paulo, Daniel Pedrosa veio para São José dos Campos para trabalhar numa empresa de tecnologia aeronáutica, onde trabalha na área de engenharia há 20 anos. Casado, católico, pai de duas filhas, teve sua história profissional marcada devido a mudança de empresa, quando saiu de uma siderúrgica de commodities, e mudou-se para uma de tecnologia. Foi desligado da antiga empresa por alegações de não ter bom relacionamento com pessoas e ingressando na nova empresa, colocou como principal objetivo, mudar o comportamento e se aproximar das pessoas como um líder e não como chefe. Anos depois, ficou entre as melhores avaliações de líder, reconhecido como alguém capaz de coordenar grupos e engajar pessoas, passando de supervisor a gerente desta empresa.

Foto: Lançamento Livro Setor 27
Fonte: Acervo de Daniel Pedrosa
Sua vida pessoal é marcada pela morte de seu pai, quando tinha apenas 17 anos, que é seu grande exemplo de coragem e persistência, era também o alicerce de sua família. Com sua morte, Daniel Pedrosa, como filho mais velho, teve que participar de decisões e ajudar a manter a estabilidade de sua mãe e irmãs, que fez deste momento o mais difícil e importante se sua vida. 

Suas filhas são sua principal inspiração para os diversos trabalhos que se propõem a fazer, é por elas que busca novas conquistas a cada dia, tentando ser uma pessoa melhor, Dividindo sua vida entre um trabalho de engenharia e a literatura, busca, entre estes dois caminhos tão diferentes, prazer, aprendizado constante e realização profissional. Daniel Pedrosa espera contribuir futuramente com a sociedade como líder e como escritor, para o fortalecimento do nosso país, seja reforçando o papel globalizado da empresa em que trabalha ou contribuindo para a sociedade através das letras,

São José dos Campos transformou sua vida em todos os sentidos pois foi aqui que nasceram suas filhas, formou-se engenheiro, conclui seu mestrado e lançou seus livros, ou seja, foi neste terra que teve suas principais conquistas. Nossa cidade também o acolheu através do convite feito pela Academia Joseense de Letras, além de muitos convites para representá-la através da literatura, que o torna reconhecido hoje como o Dan Brown brasileiro, devido também a sua forma peculiar de atenção aos detalhes que faz com que o leitor queira desvendar o mistério juntamente com o narrador, 

E segundo ele mesmo me disse pessoalmente, o lançamento do último livro da trilogia Setor 27 está previsto ainda para o segundo semestre deste ano. Portanto, fiquemos atentos, vem coisa boa por aí!!!

Obrigado Daniel Pedrosa pela cordialidade e prontidão em querer participar conosco deste projeto!

Grande abraço,

Eduardo Caetano

Fonte de Pesquisa:

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Dialogando com a cidade

“São José dos campos vive um momento especial, é uma cidade grande, mas não tão grande que não possa corrigir seus problemas antes que eles cresçam tanto que não possam ser solucionados de uma forma menos traumática. É uma cidade moderna, mas que tem história e tradições e que escreve novas histórias e novas tradições dia após dia. 2016 é um momento especial, teremos eleições para prefeito e vereador e é a chance de tornar nossa cidade melhor, mais humana com mais oportunidades”. Essa foi a chamada que pudemos ouvir ao longo de uma série de 15 programas chamado Diálogo, ideias para uma nova cidade, nos quais o Pastor Carlito Paes e o renomado jornalista Hélcio Costa receberam, ao todo, 42 convidados das mais diversas áreas com intuito de dialogar, fortalecer e preparar a população neste ano de eleição municipal. Dialogaram sobre assuntos importantes como desenvolvimento urbano, segurança, saúde, meio ambiente, esporte, zoneamento, educação e drogas. Não houveram discussões e muito menos ofensas como estamos acostumados a presenciar nos debates políticos. Os diálogos foram conduzidos com extrema maestria e inteligência, com nível  excelente de informações e muita coerência. 

Foto: Diálogo, ideias para uma nova cidade
Fonte: Jornal O VALE
Falando particularmente sobre  o Pastor Carlito Paes, ele evidenciou, ao longo destes programas, seu compromisso não somente com o seu rebanho religioso, mas também com toda a população da nossa cidade. Fez valer, com louvor, seu lado empreendedor e formador de opinião.


Então, será mesmo que a culpa daquele congestionamento todo na segunda-feira foi tão somente pela inauguração do auditório principal da Igreja da Cidade, espaço o qual é capaz de receber mais de seis mil pessoas confortavelmente. Desculpem-me, mas o Pastor Carlito Paes e sua equipe não deixariam isso acontecer por um simples descuido de planejamento. Como podemos ver na Nota Oficial no site da Igreja, obviamente, ocorreram reuniões e ofícios junto a Nova Dutra, Polícia Rodoviária Federal e Prefeitura para que o trânsito no local fosse devidamente controlado.



Mas a vida é assim... Há dias que nem tudo sai conforme o planejado e aquela segunda feira foi um dia destes, onde outros acidentes cooperaram para o imenso congestionamento. Eu vi gente culpando o PT. Vi gente falando que a culpa é do prefeito do Carlinhos. Ou ainda que a culpa foi do pastor famoso da web Cláudio Duarte... Mas na moral povo de Deus, uma coisa não tem nada a ver com a outra... As coisas tem que ter limites!



Como sabem, sou Católico, mas verdade seja dita, assim como a semana do Cerco de Jericó realizado pela Igreja Católica, a Igreja da Cidade nos proporciona, durante esta semana inaugural do auditório principal, um período de oportunidade de conversão espiritual, como diz nosso leitor Jovane Dias, o qual sugeriu esta pauta. Não estou falando de dogmas, de frequentar os cultos ou seja lá o que for. Estou falando da oportunidade que temos de ouvir a palavra de Deus através de uma forma inteligente e até mesmo ecumênica. 



Portanto, meus amigos, aproveitemos esta semana de oportunidade, para entendermos o que podemos fazer de diferente em nossas vidas, na nossa comunidade, na nossa cidade.


Grande Abraço,
Eduardo Caetano


Fonte de Pesquisa:

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Chico Abelha... e seus vídeos sobre o homem simples!

Olá gente bonita, boa noite!

Foto: Chico Abelha, década de 80
Fonte: Acervo de Chico de Abelha
Hoje é dia de falar de gente que gosta de gente, acima de tudo, gente simples. 

No ultimo dia 23 Francisco José Lacaz Ruiz, mais conhecido como Chico Abelha, completou 59 anos de vida e nada mais justo trazer a história daquele que busca preservar a nossa história. A sugestão dada pelo leitor Flávio Augusto de fazermos uma postagem sobre o Chico nos dá a honra e o privilégio de mergulharmos nas mais ricas histórias das pessoas mais simples da nossa região. Através do seu trabalho, Chico Abelha nos possibilita conhecer lugares e costumes que andam um pouco engolidos pelo poder do avanço tecnológico. 

Nascido em São José dos Campos, viveu entre o Rio de Janeiro e São Paulo até seus 15 anos de idade. Por volta de seus 20 anos "correu o mundo", como ele mesmo diz. Morou em Monteiro Lobato e há 8 anos reside aqui em São José dos Campos. 

É um homem que acredita no próprio homem, acredita que homem ainda tem jeito de dar certo. Sua religião é seguir seu coração, ao lado de sua esposa, Adriana Abelha. 

Chico Abelha se formou na escola da vida depois de ter fugido das faculdades de agronomia, arquitetura e artes plasticas. Há 3 anos vem nos presenteando com seus belíssimos filmes sobre cultura popular, o qual realiza de forma voluntária e por conta própria. 

Foto: Chico Abelha, anos 2000
Fonte: Acervo de Chico de Abelha
Na escola da vida aprendeu que a cultura popular é muita mais rica do que aquilo que se aprende nos bancos das escolas e isso ele sentiu na pele na década de 70, quando foi morar na roça e precisou de ajuda para construir sua casa, mexer na terra e criar galinhas. É um homem cujo seu ídolo é aquele homem simples do campo, aquele que ninguém conhece mas dá o suor e sangue para que haja comida em sua mesa. 

Busca inspiração na roça e seus habitantes. E seu plano para o futuro é fazer o que mais gosta: registrar a cultura popular e divulgá-la numa linguagem na qual os jovens de espirito sejam beneficiadas. É um homem que quer deixar como seu legado o registro da cultura popular e alguns vídeos de memórias de seus habitantes notórios e não tão notórios assim... que estão em seu canal na internet: 
https://www.youtube.com/user/chicobee/videos

Grande Abraço,
Eduardo Caetano

Fonte de Pesquisa:



.

domingo, 5 de junho de 2016

E190-E2 – A Perenização de um Sonho... Parte 2

Antes tarde do que mais tarde... Então vamos lá!

Em fevereiro deste ano postamos aqui sobre a Perenização do sonho aeronáutico brasileiro, quando falamos do Rollout do E190E2, primeiro avião da nova geração dos jatos comerciais da Embraer. Após três meses de muita expectativa, temos o prazer de postar que tudo deu certo. O primeiro voo, ocorrido em 23 de maio, do E190E2 foi sucesso absoluto. Há quem diga “ah, se é uma fábrica de aviões, é claro que o avião tem que voar né"?! Mas esta realização vai muito mais além desta lógica tão simples. É algo como ver seus filhos darem os primeiros passos sozinhos. Aos envolvidos diretamente no projeto o sabor é ainda mais especial. Apesar de toda parceria com empresas estrangeiras, existe uma brasilidade peculiar neste produto, afinal de contas, quais foram os desafios encontrados ao longo desta jornada? Quantas horas adicionais sacrificando o tempo com a família e priorizando a aviação foram necessárias?

Numa empresa como a Embraer, existem Vice-presidentes, diretores, gerentes e supervisores, profissionais responsáveis pelas maiores e principais tomadas de decisões estratégicas da empresa, que participam de feiras, congressos, reuniões mundiais, são conhecidos do grande público e da imprensa. Mas o dia do primeiro voo também celebra o sucesso de todos os outros colaboradores no cume alto de seu anonimato aeronáutico. Representa o talento e o trabalho feito com a amor pela profissão e encantamento pelo produto.

É uma fusão perfeita entre o avanço tecnológico dos mais modernos programas computacionais de cálculos estruturais e simulações e o trabalho braçal, talentoso e quase artesanal de cada montador. É uma fusão de conhecimento técnico com a capacidade prática que leva a uma fenomenal evolução aeronáutica a qual podemos ver nesta imagem, que nos faz entender, finalmente, o verdadeiro significado da expressão A perenização do Sonho Aeronáutico Brasileiro.

Foto: A Perenização do Sonho Aeronáutico
Fonte: Pode Cornettah

Grande Abraço,
Eduardo Caetano

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Rosana Selicani... Uma história e tanto... Parte 2

Certo dia ouvindo a música Tudo Novo de Novo, de Paulinho Moska, pensei com meus botões: “Espero um dia escrever uma história que caiba nesta música”... E não é que a história de Rosana Selicani cabe perfeitamente... ?!?!


Ela começou colocando um ponto final na sua história a partir do dia que saiu da UTI e jamais esqueceu da sua vida dali para trás, fez de suas limitações físicas a sua força e se pôs a viver com garra e determinação, pois tudo na vida tem fim.  Sentia que havia um sol diferente no céu, e nada poderia ser tão triste assim, afinal, ela estava viva, deu a luz a um lindo menino, Victor Selicani, e contou com total apoio do seu marido, Ney Messias, com quem completará 25 anos de casada no mês de junho deste ano, e também tem uma filha, Juliana Selicani e um enteado, Lucas Magalhães. 
Foto: Família de Rosana Selicani
Fonte: Acervo de Rosana Selicani

Começou a nadar quando seu filho tinha 8 anos, em março de 2000, período em que Sogabe ia se candidatar a vereador e tinha um projeto de fazer uma piscina para pessoas com deficiência física em São José dos Campos. Ele realmente fez a tal piscina e pediu apoio a ela para participar do evento de inauguração como uma simples munícipe com deficiência. Muito embora ela já tivesse 34 anos de idade, fosse fumante e nadasse muito mal, Sogabe acreditou nela e ela sabia que precisava mergulhar, literalmente, do alto de onde já havia subido. Uma força interior lhe dizia que deveria aceitar aquele desafio. No começo foi muito estranho, segundo ela mesma diz, quando tirava a prótese perto dos outros, chamava mais atenção do que mulher pelada... !!!

Ela já dirigia, já era muito independente e contou com a sorte, quando foi entrevistada pela nadadora Joseense Fabíola Molina. Depois de perceberem sua determinação, separam uma raia exclusiva para ela e no ano seguinte começou a competir representando a cidade de São José dos Campos, tornando-se uma das paratletas mais importantes da nossa região na atualidade. De lá para cá cravou seu nome no esporte regional e a cada competição é tudo de novo. Inúmeras provas e incontáveis premiações. Por amor a vida e por paixão ao esporte ela vai fazendo da sua trajetória uma nova canção nem que seja uma outra versão. 

Foto: Premiação
Fonte: Acervo de Rosana
Então se você, caro leitor, se sentir triste, desmotivado, sem vontade de cantar uma bela canção, lembre-se deste nome: Rosana Selicani, que além de exímia esportista também está, não só se descobrindo como palestrante motivacional, como também, prestes a completar 50 anos de idade, se aventurando no mundo da dança, graças a mais um daqueles anjos que surgiram na sua vida. Vanessa, que é responsável pelo grupo Anjos d’Arte, está fazendo com que Rosana Selicani leve a diferentes públicos sua história de superação.

Rosana Selicani, foi um prazer imensurável em conhecê-la e obrigado por nos ensinar que devemos celebrar nossa própria maneira de ser com essa luz que acabou de nascer quando aquela de trás apagou!!!

Grande Abraço,

Eduardo Caetano

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Behance Portfolio Reviews Vale do Paraíba

É disto que eu estou falando... de coisas boas!!! 

No dia 15 de maio, São José dos Campos receberá o Behance Portfolio Reviews Vale do Paraíba.

Behance é uma plataforma de portfólios online. Atualmente é a principal rede social de criativos em busca de visibilidade e referências. O evento já acontece a cerca de 3 anos em várias cidades do mundo e este ano o Vale do Paraíba recebe pela segunda vez uma edição do Behance Portfolio Reviews. Uma reunião local que se destina a debates sobre temas relacionados a área, análise de portfólio e uma grande oportunidade para os profissionais da área desenvolverem seu network

E vejam a seleção que estará por lá:



Lucaz Mathias 
Já passou dos trinta. Mineiro por natureza, valeparaibano por profissão, autodidata por convicção, designer e rabisqueiro por emoção. Formado em Publicidade e Propaganda, atua desde 1996 como designer e diretor de arte/criação nas mais variadas plataformas e meios de comunicação. Atualmente mantém extensa produção como freelancer nas áreas de design gráfico, ilustração e tipografia, além de lecionar design em instituições da região.


Diego Machuca
Ilustrador e diretor de arte, formado em design gráfico, trabalha na área desde 2009, em agências de propaganda e freelancer. Fundador do estúdio de ilustração Tonnelada e Sócio-Diretor da Kinoene Arts.






Marcos Singulano
Apaixonado por tipografia, cultura japonesa e tatuagens, trabalha atualmente como Gestor de Criação da agência Supera Comunicação. Formado em Midialogia pela Unicamp, utiliza seu repertório variado para ministrar cursos e workshops no Atlas Media Lab. Pubica quinzenalmente textos na coluna START, voltada para os iniciantes do mercado de Design, no portal Design Vale




Everton Henrique
Designer e administrador. Atuou diretamente com gestão estratégica de projetos de design em suas múltiplas plataformas por mais de 5 anos, tendo prestado serviços para diversas empresas brasileiras e também no México, Argentina e Chile. Já trabalhou para marcas como ICMBio, Johnson&Johnson, Band-Aid, Listerine, Sundown, Governo Federal entre outras. Atualmente é designer gráfico e atua como produtor de conteúdo e gestor de projetos para o mercado musical e de marketing político.


Rodrigo Albano 
Iniciou a carreira em 1994 trabalhando com desenhos técnicos de arquitetura e em seguida maquetes eletrônicas Em 2007, não contente em fazer "casinhas", se aventurou em modelagem poly by poly e modelos mais complexos, tendo oportunidade de trabalhar em grandes obras do cliente Santuário Nacional de Aparecida, em 2008. Trabalhou dentro no Studio de Design da Embraer e no final de 2008 voltou para carreira solo na Dream Maker.


Rodrigo Gelmi
Após concluir a faculdade, mudou-se para São Paulo tornando-se diretor de arte e "webdesigner" no setor de desenvolvimento para internet da agência de publicidade Full Jazz. Tornou-se ilustrador na empresa 6Bestudio, compondo artes para publicidade. Atualmente trabalha como ilustrador e é proprietário da empresa Gelmi Estúdio De Arte desde 2009, onde dirige uma talentosa equipe focada em trabalhos de arte principalmente em computação gráfica.


Bruno Barbosa 
E formado pela Escola Panamericana de Artes e trabalha como criativo na Ínsula, agência da holding francesa Publicis. Possui um Curta-Metragem chamado Cantos & Encantos, um desenho em computação gráfica para crianças de escolas públicas em que conta a história da cidade Jacareí. E é o fundador do Movimento Bandeiras Brancas, projeto independente e sem fins lucrativos, onde mostra que é possível através de ações de comunicação espalhar a paz.



Fonte de Pesquisa:

terça-feira, 26 de abril de 2016

Rosana Selicani... uma história e tanto...

Bom dia pessoal!!! 


Tivemos alguns problemas técnicos nas últimas semanas, mas estamos de volta para dar aquela “Cornettada” básica... E retomamos em grande estilo, com uma daquelas histórias que realmente dariam um bom livro e, sinto-vos dizer, esta história não caberá em apenas um post... ainda bem!!! Hehehe


Quando vou entrevistar alguém deixo bem claro, não só pelas afirmações, mas também pela minha face avermelhada e ainda a falta de traquejo, que não sou jornalista e muito menos escritor, mas ao me deparar com pessoas como Rosana Selicani, tenho a certeza que o projeto PodCornettá está no caminho certo. Conversar com uma pessoas como ela  é ter uma oportunidade de mergulharmos, literalmente, num universo totalmente novo, universo onde os percalços da vida são combustíveis de constante motivação e superação. 

Nascida em 16 de agosto de 1966, na cidade de Paraguaçu-MG, Rosana Aparecida Selicani Magalhães foi criada aos moldes antigos, sofreu muito com a rigidez e severidade da educação que seus pais lhe deram. Veio para São José dos Campos quando tinha apenas dois anos de idade e como todo bom mineiro que vem para estas bandas, morou no bairro de Santana, na Avenida Rui Barbosa. Anos mais tarde, seu pai comprou um terreno no bairro do Parque Industrial e sua casa foi a primeira da rua a ser construída, havia somente sua casa e a escola pública Maria de Melo, que naquele tempo ainda cheirava tinta fresca. Teve uma infância simples mas nutrida sempre por bons princípios de ética e boa educação. 

Foto: Rosana Selicani, após acidente
Fonte: Acervo de Rosana Selicani
Até aí tudo bem, esta poderia ser mais uma daquelas histórias nas quais meninas de famílias simples crescem, casam-se, constituem uma família e alcançam seus objetivos profissionais. Mas a vida de Rosana Selicani começou a mudar a partir do dia 7 de dezembro de 1991, dia do seu fatídico acidente de moto. Não foi um acidente comum, como muitos que vemos por aí, não foi mesmo. Ela teve a parte inferior da sua perna arrancada pelo veículo conduzido por um homem alcoolizado que veio em sua direção e o fato mais arrepiante é que ela estava grávida de 7 meses de seu primogênito.

Casada há apenas seis meses, ela e o marido, que era muito cauteloso ao conduzir a moto, retornavam uma confraternização, e esta seria a última volta na moto, que era o único meio de transporte que tinham e já estava vendida para que pudessem da entrada na sua casa própria e assim sair dos fundos da casa de seus pais. 

Devido as circunstâncias do acidente acabou ficando dois dias da UTI e as pessoas que iam visitá-la diziam que ela não teria condições de gerar seu filho, mas ela tinha uma força incrível dentro de si que lhe dava a certeza que ele nasceria forte e com saúde. Assim aconteceu, Victor Selicani nasceu de parto normal com 3,85 kg.

O acidente representou sua nova data de nascimento, a partir dali resolveu mudar positivamente... achava que não estava normal, se sentia motivada demais a fazer e viver experiencias ate então adormecidas... 

Palavras como superação, motivação, coragem e dedicação são ínfimas para descrever esta história de vida, por isso... vamos aguardar a outra parte desta emocionante história nas próximas postagens... hehehe

Grande Abraço,

Eduardo Caetano 

terça-feira, 12 de abril de 2016

Delícias da Carol... feitas com muito Amor.

Foto: Pães de Mel
Fonte: Acervo da Carol
Ana Carolina da Silva, 33 anos, casada, mãe de duas filhas, natural de Resende-RJ, reside há 8 anos aqui em São José dos Campos e é aquela pessoa que vai deixar seus convidados  e familiares com uma imcomparável sensação de gostinho de quero mais... pois é, assim são as Delícias da Carol, feitas com muito Amor... seus doces, bolos e sobremesas deixarão seus eventos, aniversários e comemorações ainda mais gostosos.


Valeu Carol pela parceria e por acreditar no PodCornettá.


Foto: Bolo de Leite Ninho
Fonte: Acervo da Carol

Foto: Bolo de Abacaxi
Fonte: Acervo da Carol

Grande abraço,

Eduardo Caetano

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Bruna Cristina, personalizando produtos com arte

Foto: canecas personalizadas
Fonte: Acervo de Bruna
Bruna Cristina de Paula Souza é uma jovem empreendedora de 29 anos, casada, mãe de dois filhos, que nasceu e reside aqui em São José dos Campos. Sempre gostou de trabalhar por conta própria, buscou fazer algo que sentisse prazer aliando retorno financeiro, valorização e reconhecimento profissional. Desta forma, surgiu a Art Personalize, empresa a qual nos passa credibilidade e confiança para fazermos uma forte parceria que vão muito além da aquisição dos seus produtos personalizados. 

A Art Personalize começou como uma brincadeira, com a produção de chinelos e almofadas para alguns amigos, chegando hoje a produzir os mais variados itens como camisetas, travesseiros, mouse pad, canecas de vários modelos, avental, enxoval de bebê, toalhas, lembranças e brindes geral. Além de atender empresas, cerimonialistas, buffets e festas em geral, também atende ao público individual que deseja adquirir um presente personalizado e exclusivo, contando com uma equipe de 5 pessoas trabalhando no setor de confecção e 10 vendedores externos, que lhe transmite extrema confiança e faz tudo com muito carinho e dedicação.

Personalizando produtos com arte, Bruna Cristina vai alegrando seus clientes e também vai conquistando o reconhecimento almejado.

No mais, obrigado pela parceria e por acreditar no PodCornettá.

Foto: Almofadas personalizadas
Fonte: Acervo de Bruna
Foto: Almofada e caneca personalizadas
Fonte: Acervo de Bruna
Grande Abraço,

Eduardo Caetano

terça-feira, 29 de março de 2016

Zé Kovács, exageradamente apaixonado por aviação!

Com uma trajetória profissional inspiradora, ele é engenheiro mecânico, graduado pelo Empire Hungria Collegeof Budapest, membro honorário da Câmara dos Engenheiros da Hungria, membro da Academia Nacional da Engenharia (ANE), piloto de ensaio, atuou no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), no Centro Técnico Aeroespacial (CTA), foi diretor técnico da Indústria Aeronáutica Neiva, trabalhou por 19 anos na Embraer e , antes de mais nada, Joseph Kovács é mestre projetista e construtor de aeronaves. Nascido em 19 de março de 1926, Kovács József Gábor tornou-se, ao longo dos seus 90 anos de idade, uma verdadeira lenda viva da indústria aeronáutica mundial. Hoje é chamado carinhosamente por apenas Zé Kovács e continua trabalhando como consultor técnico na empresa NOVAER. Como prêmio pela sua trajetória, foi elevado ao grau de Comendador da Aeronáutica no dia 23 de outubro de 2014, dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, data que é significativa para a aeronáutica brasileira, pois faz uma alusão ao primeiro voo de Santos Dumont com o 14 BIS.

Foto: Zé Kovács mostrando o título de Comendador da Aeronáutica
Fonte: 
http://www.novaer.ind.br/news.html
Durante nossas pesquisas, nos deparamos com fatos e depoimentos a seu respeito muito significativos, e seria “chover no molhado” se contássemos sua trajetória detalhadamente aos amantes, apaixonados e aficionados, ou não, por aviação sobre o desenvolvimento de seus aviões acrobáticos, principalmente desde o K55, passando pelo T25 Universal, até o sucesso do T27 Tucano. Claro que seus feitos aeronáuticos nos dão muito orgulho, seu passado fez história mas, é o presente, que nos motiva tentar descrever sua paixão pela aviação e seu prazer pelo trabalho. 


Joseph Kovács é do tempo que projetar era uma arte do manuseio da prancheta, da caneta nanquim e do papel de seda. É do tempo que insistir e persistir eram as únicas opções de sucesso, tanto é verdade que ele mesmo disse que “malhou em ferro frio durante 17 anos para poder fazer o T27 Tucano... Isso não é orgulho, é paixão por voar”! 

Como diria Mário Sérgio Cortella: “a vida é muito curta para ser pequena”. Então, através do seu jeito único, simples, humilde, feliz e apaixonado, Zé Kovács vai escrevendo seu nome na história e vai fazendo sua vida se agingantar a cada dia. Muito mais que um tapinha nas costas ou sorrisos amarelados de parabenização de falsos líderes, ele saúda toda a equipe, desde o cargo mais inferior ao mais alto escalão, entregando sua venerada barba. Isso mesmo, ele permite que todos façam um pouco a sua barba. É como se ele, na condição de verdadeiro líder, entregasse simbolicamente um prêmio a cada integrante da equipe. Isso tornou-se uma tradição a partir do início de 1979, quando apostou com engenheiro Domingos Regino, líder da fabricação e montagem, que conseguiriam fazer o T27 Tucano voar em 19 de agosto de 1980.

Foto: Zé Kovács entregando sua barba a equipe NOVAER
Fonte: 
http://www.novaer.ind.br/news.html
E talvez seja essa a chave para o seu sucesso e longevidade: enquanto para muitos, “trabalho dá trabalho”, a ele, o “trabalho dá paixão”.

Grande abraço,

Eduardo Caetano.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Victor Mendes, o violeiro da cidade grande!

Foto: Victor Mendes, criança, aprendendo violão
Fonte: Acervo de Victor Mendes
Talvez ninguém imagine que no bairro mais sofisticado de São José dos Campos cresceu uma das promessas da música caipira do nosso país... O músico Victor Santos Mendes, retrata a rápida transformação da nossa cidade. Nascido em 09 de novembro de 1987, no bairro Vila Ema, mudou-se com sua família para um dos primeiros prédios do bairro do Jardim Aquárius, quando ali as ruas ainda não eram asfaltadas. Ele se lembra de andar muito de bicicleta, fazer “guerra de mamona” e fazer fogueiras de São João com os amigos onde hoje estão grandes edifícios. 

Quem é do ramo da música sabe que existe uma relação afetuosa entre o instrumentista e seu instrumento, existe uma relação química entre os dois onde o instrumentista, de forma natural, aprende e compreende a linguagem do seu instrumento musical. E isso aconteceu com Victor Mendes, ao pedir emprestada a viola caipira de um amigo que havia ganhado de seu irmão anos antes da formação do Trio José, grupo no qual é integrante atualmente. Apesar de ter nascido para música na banda de rock chamada Ethama, foi o encontro com a viola que permitiu a ele conhecer o Brasil, as pessoas, suas histórias, grandes amigos e parceiros como é o caso de Paulo Nunes e Saulo Alves.

O Trio José já foi quarteto, já foi dupla, hoje em dia varia as suas formações, mantendo sempre o mesmo nome e lançou, no final de 2014, seu primeiro disco, chamado “Puisia”, que é um trabalho feito a partir de onze poemas do Seu Juca da Angélica, poeta de Lagoa Formosa, Minas Gerais. Durante a gravação deste disco, Victor Mendes teve muitos problemas para reaprender a cantar. Como usava a voz para trabalhar no Museu do Futebol, em São Paulo e depois ia ao estúdio gravar, por inexperiência e por uma auto cobrança excessiva, o resultado foi o pior: não conseguia mais cantar! Foi um período de dores de garganta, gripes, etc, mas retomou as aulas de canto e, com muita dedicação e até fonoterapia, aprendeu a usar melhor a voz. 

Tendo como inspiração a música caipira e motivado por seus pais, namorada e família, vai trilhando um caminho musicalmente original, assim como seu ídolo, Milton Nascimento, conseguindo criar uma música particular, universal, sem rótulos e sem amarras.

Segundo ele mesmo diz “foi aqui em São José dos Campos que criou raízes, fez amigos, aprendeu a tocar. Mesmo morando em São Paulo, tem uma ligação muito forte com a cidade. A viola caipira fez enxergar nossa cidade de outra maneira, não apenas como uma cidade industrial, mas como uma cidade que guarda uma herança caipira, uma cultura popular muito forte e que está viva nas pessoas. E São José dos Campos é terra de violeiro e a proximidade com a Serra da Mantiqueira, os tropeiros, a orquestra de viola caipira criada aqui pelo Braz da Viola colaboraram para isso se manter vivo.”
Foto: Victor Mendes, adulto, tocando viola
Fonte: Lia Bernini Vieira

E no trecho da música de sua autoria "Meu canto é saudade", Victor Mendes nos deixa um recado: “Queria que meus verso andasse pelos caminho, consolando os infelizes, dando pão aos probrezinho...!”

Então, meu amigo Victor,  seja feliz e continue nos presenteando com sua música e seu repertório! 

Obrigado por acreditar no Pode Cornettah e por nos permitir dividir um pouco da sua história!

Grande abraço, 

Eduardo Caetano


Fonte de pesquisa:

sexta-feira, 11 de março de 2016

Olha o que vem por aí!!!

Bom dia gente bonita!!!

Olha o que vem por aí!!! Isso está ficando bom... hehehe


Victor Mendes, músico fascinado pela viola caipira!
Fonte: Lia Bernini Vieira
Chico Abelha, apaixonado pela cultura popular
Fonte: Acervo de Chico Abelha

Rososana Selicani, paratleta de São José dos Campos
Fonte: Acervo de Rosana Selicani

Daniel Pedrosa, Engenheiro e escritor
Fonte: Acervo de Daniel Pedrosa